Polícia investiga supostos desvio de carga e extorsão praticados por delegado no Maranhão

By | 27 de março de 2018

Thiago Bardal era o comandante da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC) (Foto: Arquivo/TV Mirante)

Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor) vai abrir três procedimentos para investigar a suposta participação do delegado Tiago Bardal em um esquema de contrabando internacional de mercadorias. Um dos procedimentos tem relação com uma apreensão com uma carga de cigarros em agosto de 2017.

Segundo a investigação em curso, comandada pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA), esta carga não teve destino revelado e teria sido interceptada pelo delegado Tiago Bardal. De acordo com a própria polícia, o proprietário da carga foi alvo de extorsão do delegado no valor de R$ 100 mil.

O delegado está preso na Casa de Custódia, que fica anexo à Delegacia Especial da Cidade Operária (Decop), onde policiais civis que respondem a situações contra a lei ficam. A defesa de Bardal chegou a pedir habeas corpus, mas não teve resposta positiva da Justiça.

O depoimento do delegado na Seccor está marcado para ser feito nesta terça-feira (27). O depoimento estava marcado para segunda, mas a SSP informou que não foi possível, pois representantes da Associação dos Delegados da Polícia Civil (Adepol) estavam na cela do delegado no momento da chegada dos agentes e o delegado teria se recusado a prestar depoimento por conta disto.

PUBLICIDADE

Compartilhar